(62) 3317 5500 • comercial@jornalcontexto.net

Região Metropolitana de Anápolis

A largada da metropolização foi dada pela Acia no I Encontro Estratégico da Região de Anápolis, na última sexta-feira. Ao defender a importância de maior intercâmbio e parcerias para o desenvolvimento econômico, social e cultural do entorno, o presidente da entidade, empresário Wilson de Oliveira, destacou que a criação da Região Metropolitana de Anápolis não é utopia nem megalomania, mas um projeto viável que deve repercutir entre gestores públicos, políticos, setor produtivo, imprensa e toda a sociedade organizada.
Conjunto de municípios integrados, região metropolitana ou área metropolitana é um grande centro populacional formado por uma cidade núcleo e outras adjacentes, constituindo uma conurbação, sem limites físicos. Uma região metropolitana, porém, não se caracteriza obrigatoriamente por áreas contíguas urbanizadas. Algumas regiões metropolitanas são designadas por uma cidade central que lidera várias cidades menores, intercaladas com áreas rurais e forte grau de integração econômica, social, política e cultural.
Aglomerados urbanos não-metropolitanos, como a Grande Cuiabá, Grande Uberlândia, Vale do Paraíba, Caxias do Sul/Bento Conlaves e Pelotas/Rio Grande movimentam-se para integrar a lista das 36 regiões metropolitanas do Brasil. Duas são referências para Anápolis: Região Metropolitana do Sudoeste do Maranhão (nove municípios), liderada por Imperatriz, com 345 mil habitantes e PIB de R$ 2,1 bilhões (2008) e Região Metropolitana de Chapecó (sete municípios gaúchos), com 298 mil habitantes e PIB de R$ 4,3 bilhões (2008). O município de Anápolis tem 334 mil habitentes e PIB superior a R$ 8 bilhões. Somados os 17 municípios vizinhos, a Região Metropolitana de Anápolis teria população aproximada de 600 mil habitantes e PIB estimado de R$ 11 bilhões.
Sem personalidade jurídica, as regiões metropolitanas do Brasil são definidas em maioria por leis estaduais. A metropolização viabilizaria sistemas de gestão pública de interesse comum e ações públicas e privadas, em conjunto, para desenvolver a região de Anápolis, integrada, em tese, por São Francisco de Goiás, Jesúpolis, Jaraguá, Corumbá de Goiás, Pirenópolis, Cocalzinho de Goiás, Alexânia, Abadiânia, Gameleira de Goiás, Leopoldo de Bulhões, Silvânia, Goianápolis, Campo Limpo de Goiás, Ouro Verde de Goiás, Petrolina de Goiás, Santa Rosa de Goiás, Taquaral de Goiás, Itaguaru e Itaguari. Destaque-se que Goianápolis pertence à Região Metropolitana de Goiânia, mas a proximidade com a virtual área de ampliação do Daia deverá provocar a sua integração urbana com Anápolis. O efeito Daia, no futuro, produzirá uma conurbação ligando Anápolis a Gameleira, o que dificilmente acontecerá com Campo Limpo de Goiás, devido as restrições ambientais de propteção da Bacia do João Leite ao desenvolvimento urbano na região oeste. A duplicação da BR 153, trecho Jaiara-Interlândia, beneficiado por três viadutos, aumentará a densidade demográfica na região norte, apesar da proximidade com a Base Aérea. Como a cidade se desenvolve aceleradamente na única região favorecida pela topografia, a criação de um eixo viário estrutural leste-oeste será um dos maiores desafios que a gestão pública enfrentará nos próximos anos.
Terceira economia do Centro-Oeste, o município de Anápolis é impulsionado por índices de vários referenciais: industrialização, importação, exportação, distribuição, comércio, prestação de serviços, forte potencial de turismo de negócios, pólo universitário e tecnológico e melhoria da qualidade de vida. Cidade boa para viver e investir – esta semana está de novo na mídia nacional -, Anápolis agora é um ótimo lugar, também, para fazer compras e passear. Transmitido pela Rádio São Francisco AM 670 para toda a região, o seminário atraiu a presença de poucos prefeitos e participantes, mas o seu conteúdo repercutiu na mídia o bastante para gerar resultados.
Destaques do I Encontro Estratégico: o entusiasmo de Jakson Charles - Diretoria de Turismo do Município - com o potencial do nosso turismo de negócios, agora estruturado; a didática de Tânia Aparecida - Sebrae Regional - na abordagem do empreendedorismo; a visão globalizada do querozenado Edson Tavares - Porto Seco Centro-Oeste - ao apontar soluções de Primeiro Mundo como opções para os municípios do entorno Anápolis e a determinação e liderança de Wilson de Oliveira - Acia - ao dar a largada da metropolização para a consolidação do eixo regional de desenvolvimento integrado.

Autor(a): Manoel Vanderic